terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Santos x Barcelona: O Pensamento Mágico

O brasileiro tem um cacoete mental que me deixa assustado, principalmente porque, às vezes, também sofro com ele.

Falo especificamente do pensamento mágico.

No sábado antes do jogo, realmente achei que o Santos pudesse ganhar do Barcelona, porque, ao fim e ao cabo, tínhamos Neymar e Ganso.

Nada mais equivocado, como pude perceber no domingo.

E isso por quê?

Porque, sabe-se lá por qual razão, também tenho pensamentos mágicos.

Do mesmo modo que pensei que o Santos, um time medíocre dentro do fraco campeonato brasileiro deste ano, poderia ganhar do espetacular Barcelona, também já imaginei que alguém pudesse resolver os problemas brasileiros com um pouquinho de talento e vontade política.

No entanto, sempre que alguém dá uma resposta simples para um problema complicado, hoje (depois do jogo de domingo) eu tenho certeza de que a resposta está errada; do mesmo modo como tenho certeza de que estava louco ao achar que o amador time do Santos poderia ganhar do profissional time do Barcelona.

Tal qual no futebol, ninguém consegue fazer de um time medíocre um time vencedor num passe de mágica. São necessários anos e anos de esforços, dedicação, profissionalismo e trabalho.

Ou seja: não há mágica; não há como resolver as coisas com talento e um pouquinho de vontade.

Só com muito trabalho se conseguem resolver os problemas; sejam os do futebol ou quaisquer outros.